Uma solução de inventário de redes baseada em Network Analytics é essencial para os serviços que as modernas plataformas de monitoração e diagnóstico do desempenho de redes oferecem para que os dados obtidos sejam processados e analisados de forma inovadora, e possibilitam a localização imediata, precisa e georreferenciada de problemas e tendências.

 

Plataformas modernas baseiam-se na solução de inventário que integra Network Analytics para processar os dados de monitoração gerados nas redes de maneira inovadora, empregando recursos de automação, aprendizagem de máquina e inteligência artificial para ampliar o escopo e rapidez da análise tradicional manual, e geram assim informações contextualizadas que permitem identificar e localizar problemas com exatidão rapidamente com base no inventário físico e lógico das redes.

Tradicionalmente, os produtos para a monitoração de redes trabalham de maneira independente. Os métodos de análise das novas plataformas de Monitoramento e diagnóstico de desempenho de rede (NPMD) permitem a coleta e integração dos dados de monitoração em um modelo de informação comum e a análise coerente dos dados coletados para identificar comportamentos anômalos ou baixa qualidade da experiência do usuário, o que permite ainda determinar a causa raiz dos problemas de rede, tais como gargalos, latência ou jitter, falhas de hardware ou de conexões e até mesmo falhas de segurança.

Além disso, a análise também permite gerar dados para prever as demandas futuras da rede. 

Como selecionar a solução de inventário?

Antes de selecionar uma plataforma de inventário com Network Analytics, é muito importante avaliar a infraestrutura de rede existente e as ferramentas de monitoração em uso e a necessidade real de melhora.

Algumas características importantes para a escolha da ferramenta de NPMD e análise de rede são estas:

  • Visualização de fluxos que atravessam porções específicas de uma rede ou toda a rede, baseados em diversos critérios de busca;
  • Análise automática que permite identificar e localizar a causa raiz de problemas de difícil detecção na rede;
  • Sugestão de maneiras de como melhorar o desempenho da rede e de reparar os problemas (sugestão de workflows);
  • Detecção de tendências e dados para planejar a melhora e expansão dos serviços e da própria rede para atender à demanda futura e aos requerimentos de qualidade (tais como banda, latência, velocidade, QoS, CoS, segurança, etc.).

 

Quais são os passos recomendados para iniciar um projeto de NPMD para a organização?

O melhor é começar fazendo uma avaliação da rede atual e de sua arquitetura. Os passos recomendados são os seguintes:

  • Avaliar a arquitetura da rede atual e determinar quais problemas se espera que sejam solucionados e que ganhos serão obtidos com a adoção da solução de inventário de rede.
  • Avaliar as ferramentas e processos de inventário de rede que já existem.
  • Identificar que profundidade e detalhamento de informações sobre o inventário é de fato necessária e garantir que a solução possa ser dimensionada para essa necessidade, sendo compatível com o ambiente de rede e a estrutura operacional existentes.
  • Avaliar se o sistema tem capacidade de expansão para cobrir toda a rede, atual e futura.
  • Verificar que suporte operacional interno (da equipe de NetOps e DevOps) a solução requer, e que tipo de suporte o fabricante pode prestar.
  • Verificar se o fabricante tem presença sólida no mercado local.

 

Quais são as razões que podem justificar o investimento no projeto?

  • Visão integrada imediata e atualizada dos recursos de rede, começando pela camada física, bem como informações sobre a disponibilidade instantânea desses recursos;
  • Visualização da disponibilidade e ocupação diretamente acessível e customizada para todos os grupos de Ops – operação, desenvolvimento, planejamento, projetos e engenharia, segurança, construção, manutenção, reparo e comercialização;
  • Redução significativa do tempo de projeto e instalação;
  • Redução significativa do tempo de consulta sobre a disponibilidade de recursos para comercialização de serviços de rede (imediata);
  • Possibilidade de reserva de recursos para atendimento a novas conexões a serem contratadas;
  • Controle do andamento da instalação (gerenciamento de projeto);
  • Automação de projetos de redes físicas e emissão de ordens de serviço, incluindo lista de materiais e estimativa de custos de atendimento a localidades do cliente;
  • Redução significativa do tempo de detecção e localização de falhas (imediato);
  • Redução significativa do tempo determinação do impacto (segundos);
  • Redução significativa do tempo para identificar a causa raiz (segundos);
  • Redução significativa do tempo de acionar equipes de reparo com workflows já configurados (minutos);
  • Detecção de alterações de ocupação dos recursos de rede e notificação imediata aos grupos responsáveis;
  • Subsídio às práticas de segurança;
  • Acesso informático aos dados da camada física e sua inclusão no conceito de automatização da configuração, monitoração e diagnóstico das redes;
  • Fácil customização das telas de visualização segundo as necessidades de cada grupo operacional;
  • Possibilidade de integração com sistemas existentes;
  • Visão das conexões fim a fim com máxima granularidade e visão topológica dos serviços ao longo de toda a rede network-wide dos fluxos;
  • Finalmente, redução de custos operacionais e dos prejuízos decorrentes de problemas de projeto, manejo de recursos, otimização da operação e visualização direta do desempenho e da disponibilidade.

 

Como dimensionar a solução de inventário?

Empresas pequenas que não possuem grande complexidade dos serviços que cruzam as redes podem não necessitar de uma plataforma abrangente de inventário incluindo recursos extensos de inventário de conexões lógicas, restringindo o inventário à parte menos visível das redes (a parte física e conexões físicas).

Tampouco precisam de integração com sistemas existentes, ou grandes capacidades de processamento e armazenamento de informações, customização de relatórios, dashboards e inteligência para lidar com uma complexidade que sua rede não contém. Neste caso, uma plataforma de grandes dimensões pode não ser uma solução economicamente viável. Entretanto, uma ferramenta padronizada e customizável já conta com muitas facilidades que podem ser suficientes mesmo em suas versões mais básicas, o que pode representar um projeto e um custo compatíveis com os benefícios alcançados.

Ferramentas com capacidade de expansão que oferecem essas versões básicas e de baixo custo para a situação inicial dessas redes pequenas (por exemplo, redes de acesso em banda larga com tecnologia GPON, ou redes backbone fibras ópticas compartilhadas ou cedidas a terceiros e torres ou antenas compartilhadas), pode ser a solução mais vantajosa pela melhoria e redução do custo operacional e do tempo de comercialização, e até mesmo de auto provisionamento, que propiciam.

As organizações médias e grandes, por outro lado, precisam estar seguras de que uma solução de inventário com a possibilidade de registro de conexões lógicas em camadas mais altas, que adotem num segmento novo da rede ou para um tipo de aplicação, possa ser expandida para cobrir toda a rede com as características e funcionalidades que serão possivelmente demandadas no futuro. Acrescenta-se a isso a possibilidade de integrar-se com os demais sistemas de suporte à operação e ferramentas de gerenciamento de redes, de monitoração, diagnóstico e segurança cibernética existentes.

 

Como a Netcon pode ajudar o cliente a dimensionar sua necessidade e a justificar economicamente o investimento na solução de inventário?

A equipe de especialistas da Netcon Americas pode ajudar a dimensionar a solução mais adequada. Isso pode ser feito após identificar os objetivos de sua empresa.

Com o objetivo de atender às necessidades de cada cliente, a Netcon conta com especialistas para conversar diretamente com o pessoal de NetOps, DevOps e SecOps e de comercialização da empresa. Dessa forma é possível identificar os objetivos e as necessidades, conhecer a arquitetura da rede, identificar as funções necessárias, conhecer o tamanho das equipes envolvidas, conhecer as expectativas de desenvolvimento e expansão das redes e assim elaborar um planejamento conjunto para chegar à solução mais adequada ao ambiente encontrado.

Através dessa solução, inclusive, é possível aos responsáveis desenvolver um planejamento físico-financeiro da solução ideal para sua empresa.

Por Cristiano Henrique Ferraz – CTO da Netcon Americas